Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Corso

Escrito por Super User | Publicado: Sexta, 23 de Fevereiro de 2018, 20h11 | Última atualização em Quinta, 09 de Agosto de 2018, 14h44

 

Carta enviada ao vice-rei conde de Rezende pelo desembargador José Antônio Ribeiro, informando sobre o requerimento de José Antônio de Santana, mestre da corveta Rainha dos Anjos. Segundo o documento, esta embarcação, carregada de escravos, havia sido apresada por um corsário francês e levada para Montevidéu. Este documento testemunha a importância dos escravos enquanto mercadorias, visto serem os navios negreiros alvos de corsários.

Conjunto documental: Alfândega do Rio de Janeiro
Notação: caixa 495, pct 01
Datas - limite: 1714-1807
Título do fundo ou coleção: Vice-reinado
Código do fundo: D9
Argumento de pesquisa: escravos, tráfico de
Data do documento: 18 de setembro de 1799
Local: Rio de janeiro
Folha(s): -

Leia esse documento na íntegra

“Ilmo e Exmo Senhor
Para melhor informar à V. Exª o requerimento de José Antônio de Santana, mestre da corveta Rainha dos Anjos, procedi a justificação judicial de testemunhas, e à vista delas, se reconhece a verdade de que a mesma embarcação saindo de Angola1  carregada de escravos2  fora apresada pelo corsário3  francês republicano, e levada a Montevidéu, de onde viera por conta, e risco do mesmo proprietário carregada de efeito do país para o porto desta cidade com destino de os enviar ao Reino.  Pelo que, como se verifica que não fora a comerciar, está no termo de ser admitida à descarga, e despacho d’ Alfândega4  para nela pagar os competentes  direitos de entrada5 . Deus guarde à V. Exª. Rio 18 de setembro de 1799.

Illmo. e Exmo. Sr. Conde de Rezende6

Juiz e ouvidor d’Alfândega
O desembargador José Antônio Ribeiro .”

1 Localiza-se na região Oeste do Sul de África. Durante o século XVI os portugueses, chegaram ao reino de Ngola ao qual chamaram Angola. Entre 1605 e 1641, os portugueses fizeram grandes campanhas militares de modo a conquistar o interior. A troca de escravos tornou-se o maior negócio dos portugueses e dos africanos.
2 Pessoa cativa (sem liberdade), que está sujeito a um senhor, como propriedade dele. Desde o século XV, os portugueses realizavam o tráfico de escravos africanos e o comércio negreiro. Além de ser um dos empreendimentos mais lucrativos de Portugal, era a principal fonte da mão-de-obra para o cultivo de diversas culturas no Antigo Regime lusitano.
3 O corsário tem sua origem na Idade Média, mas se tornou especialmente importante na Idade Moderna. Ao contrário do pirata, do ponto de vista do direito internacional, o corsário é um combatente regular, a quem o governo dava uma carta de corso. Poderia ser mantido diretamente pelo governo ou por um particular. Não há grande diferença dos piratas quanto aos métodos, porém, o corso reservava de 1/3 a 1/5 do amealhado para o tesouro real. Durante todo o período colonial, corsários e piratas foram responsáveis por diversos e contínuos ataques.
4  É o órgão da administração pública responsável pela fiscalização, controle e taxação dos produtos importados e exportados em um país. Aduana.
5 Os direitos de entrada eram as taxas que incidiam sobre os produtos e mercadorias que entravam no país, sendo a alfândega o órgão responsável pelo recolhimento desses tributos. Taxas alfandegárias.
6 José Luís de Castro, 2º conde de Rezende (1744-1819). Foi nomeado vice-rei do Brasil entre 1789 e 1801, tendo sido o último vice-rei do século XVIII, enfrentando a Conjuração Mineira e assumindo a responsabilidade de cumprir as decisões julgadas nos autos da devassa. Como governante, procurou melhorar as finanças e condições sanitárias do Rio de Janeiro. Em suas primeiras realizações, prolongou o cais do Largo do Paço, completou o aterro do pantanal de Pedro Dias (iniciado pelo Marquês do Lavradio), aterrou o Campo de Santana transformando-o no maior rossio da cidade, que veio a se tornar a nova atração para o povo, em ocasiões como a festa do Divino de Santana. Foi responsável também pelo fechamento e a devassa da Sociedade Literária do Rio de Janeiro (1794), acusada de sedição. Passou o governo ao seu sucessor d. Fernando José de Portugal.

Sugestões de uso em sala de aula:
Utilização(ões) possível(is):
- No eixo temático sobre a “História das relações sociais da cultura e do trabalho”
- No eixo temático sobre a “História das representações e das relações de poder”

Ao tratar dos seguintes conteúdos:
- A escravidão no Brasil colonial
- A montagem do sistema colonial
- A sociedade colonial: práticas e costumes
- O tráfico de escravos da África para a América

 

Fim do conteúdo da página